Por onde você anda?

Quando você dirige: no que você está focando – nos carros que passam ao seu redor, no espaço que seu veículo ocupa na pista, na música que toca na rádio ou nos problemas que andam ocupando sua mente? Quando você conversa com alguém, ouve o que ela está dizendo? Ou está automaticamente criticando e analisando tudo o que ela está dizendo? Respondendo perguntas que nem mesmo foram concluídas, presumindo aquilo que a pessoa diria?

Por onde você anda? No momento ou na sua cabeça? Atento ao que está acontecendo, engajando-se totalmente no momento… ou disperso por aí, sem realmente prestar atenção no que faz? 

A consciência é essencial se quisermos ser os arquitetos de nossa própria existência, pois só podemos agir NESTE momento. Tudo está acontecendo agora. O presente é a semente do futuro.  E quando nos concentramos nele, percebemos como agimos, como o mundo reage a nós. E assim, podemos nos conduzir de maneira compatível com aquilo que queremos construir. É isto o que muitas filosofias orientais chamam de “estar presente”. E isso é extremamente poderoso! Por exemplo: Se você quer ser mais saudável, você precisa observar com o que você está alimentando seu corpo? Se você deseja melhorar sua capacidade de comunicação, você precisa prestar atenção ao que o outro está falando, como ele está falando. 

Para mudar qualquer coisa é preciso, antes de tudo, ter consciência do que está realmente acontecendo. Ver as coisas como elas realmente são e não suplantar a realidade com nossas fantasias e ilusões. Então poderemos saber se isto está de acordo com aquilo que desejamos para nós ou não. E se não estiver, alinhar nossas atitudes e ações.  

Por isso, quando o tempo estiver voando sem que você se sinta produtivo, quando você estiver sempre com aquela comunicação travada com o próximo… OBSERVE! Perceba como você tem contribuído para essas situações, como você tem agido. Você está ttoalmente focado ou você tem estado disperso, perdido nas terras longíguas da imaginação?

Viver é como fazer um vaso de cerâmica: conforme a argila vai girando, ela se molda aos seus movimentos, à pressão que você faz nela com suas mãos. O resultado final depende totalmente das suas ações. A vida é o que fazemos dela. E o que você tem feito com a sua?

Quem você está se tornando?

Nós estamos constantemente nos construindo. Através das nossas escolhas – que, consequentemente, se transformam em ações – estamos nos tornando a pessoa que seremos (somos). 

Aristóteles disse: “Após termos agido de uma forma conforme a virtude é que adquirimos virtudes. O mesmo sucede em relação às outras artes; porque a prática é nosso principal meio de instrução no caso das coisas que só fazemos bem quando as sabemos fazer. Por exemplo, é construindo que nos tornamos pedreiros, tocando lira que nos tornamos músicos. Do mesmo modo é praticando a justiça que nos tornamos justos e praticando a temperança que nos tornamos sóbrios e moderados nos nossos desejos; assim como, finalmente, é fazendo ATOS DE CORAGEM que nos tornamos corajosos. … O mesmo acontece com as paixões, os desejos e a cólera. Porque o hábito de nos comportarmos, nas mesmas circunstâncias, uns de uma maneira e outros de outra, leva a que os homens se tornem, uns, sábios e moderados; os outros, debochados e arrebatados. Enfim, é da repetição dos mesmos atos que nascem os hábitos; e eis por que é necessário que as ações estejam submetidas a um modo determinado, porque é das suas diferenças que nascem os diversos hábitos. Portanto, não é indiferente que nos acostumemos desde tenra idade a agir desta ou daquela maneira.”

Por isso, é tão importante que estejamos sempre despertos para tudo aquilo que nos rodeia: como lidamos com os outros, como tratamos o próximo, como cuidamos de nós mesmos, como nos portamos em determinada situação. Conscientes de que, a cada momento, a cada escolha, a cada ação, estamos construindo quem somos. Não é o passado que ecoa eternamente, pois nada é imutável. Tudo está em constante transformação. É o nosso presente que se transforma no futuro, que um dia será o presente. 

Logo, se nos mantivermos atentos a como estamos agindo e reagindo aos estímulos da vida, poderemos fazer escolhas conscientes, que nos levarão exatamente até onde desejamos chegar. Uma espécie de aposentadoria da felicidade. Pois, da mesma forma que investimos e guardamos dinheiro para assegurar a paz no futuro, também deveremos cultivar tudo aquilo que coadune com nossos sonhos e objetivos. Afinal, é este alinhamento de valores, pensamentos e ações que permite mantermo-nos na estrada que nos levará ao lugar onde nos sentiremos realizados. 

exercício da semana

Se após ler tudo isso e pensar que você quer isso pra sua vida. Aqui está um pequeno exercício para trazer esta prática para sua existência: ao longo do dia, faça pequenos intervalos para refletir sobre como você tem agido. Quando você estiver parado no trânsito, em uma fila, enfim… ao invés de pegar o smartphone, ler tweets, facebook… REFLITA sobre o que aconteceu até então. Como você se comportou? Você se sentiu bem com a forma com a qual você se conduziu? Como você agiu reflete quem você quer ser? Se sim, ÓTIMO! Continue. E se não, o que você vai fazer para se alinhar mais?! 

Com o tempo, isto será NATURAL e isso acontecerá a todo instante, até quando você se tornará imediatamente consciente! Lembre-se: a prática leva a perfeição!

Sucesso!
Com Amor,
Paula Camila Pinto