Diga-me com quem andas…

Estamos vivendo em uma época em que tudo está disponível. É possível encontrar qualquer tipo de informação, substância lícita ou ilícita, pessoas, atividades… tudo é permitido e tudo é acessível.

É possível encontrar todos os tipos de tribos – pessoas que formam diversos tipos de comunidades reunindo os mais diversos interesses. Gente que só come batata doce com frango, que só veste roupas de grife, que só lê escritores consagrados, que beija homem e mulheres, que só beija homens, que é contra quem atenta contra a vida de um nascituro… enfim! O cardápio está à disposição. E você pode escolher qualquer prato do menu!

Vivemos em uma época de extrema liberdade! Somos capazes de criar o que quisermos. Podemos gastar nosso tempo como bem entendermos. O resultado é isso o que vemos: de tudo! Uma ode à individualidade, uma aversão à conformidade. Não há mais espaço para pegar uma forma e esperar que todos se encaixem nessa mesma forma. Somos 7 bilhões de seres humanos… e todos somos únicos. 

Nunca esteve tão claro que nós somos os únicos responsáveis pela nossa própria existência e como nos conduzimos. Nós temos total controle sobre como agimos, pensamos. Alguns com mais consciência que outros, claro. Mas, ainda assim, uma escolha.

Não somos mais animais de cabrestos, vivendo à imposição de ditadores, à mercê das circunstâncias… o poder está nas nossas mãos. Conforme-se quem quiser, mas não há mais desculpas. Não há mais apontar os dedos para terceiros. Só depende de você.

E é por isso que fica cada vez mais difícil viver com máscaras. Afinal, quem suporta uma vida inteira de ilusões? O que está guiando você? Qual é a sua realidade? Qual é a sua verdade? Você vai continuar ignorando essas perguntas, preocupado com a personagem da novela? Ou vai desligar-se de todas as distrações e pensar no que é realmente importante pra você?

Hoje em dia, tudo é possível. Cada escolha nos revela. E nunca foi tão fácil reconhecer as pessoas. Só não enxerga aquele que não quer ver.