Escapismo, vulnerabilidade… Afinal, quem somos nós?

Algo mágico acontece quando perdemos o medo de lidar com nossos limites. Como saber até onde somos capazes de ir, se não nos dispusermos a ir até lá? Não saberemos.

E eu penso sobre todas essas coisas que fazemos para evitar lidar com nossos sentimentos, nossas emoções. O fim de um relacionamento, a perda de um emprego, uma situação embaraçosa qualquer… compras, sexo, bebidas, drogas, novela, futebol.

Que medo é esse de ser vulnerável? De se deixar ver? De conhecer as nossas próprias imperfeições? Afinal, não é lidando com elas, reconhecendo erros e limitações que CRESCEMOS? E quem nunca desejou viver na terra do nunca?

Esta palestra aborda uma pesquisa feita por Brené Brown, uma pesquisadora americana que se dedica ao estudo da conexão interpessoal, na qual ela chegou à surpreendente conclusões envolvendo a vulnerabilidade.

Review: Fundamentos da Estratégia para Negócios

O curso de Fundamentos da Estratégia para Negócios foi oferecido pela Universidade de Virgínia gratuitamente através da plataforma do coursera.

O objetivo deste curso era desenvolver o pensamento analítico através das ferramentas de análise de mercado que permitem compreender as capacidades, diferenciais, escopo e estrutura de uma empresa. Através destas informações, seria possível entender a posição de uma determinada companhia no mercado e, então, traçar estratégias para que ela se reposicione ou desenvolva-se.

O curso em si foi muito bem organizado e estruturado. Sendo formada em Direito, tive algumas dificuldades em entender termos econômicos, tais como economic rents, opportunity costs…. e vários outros que faziam um nó. Contudo, o material de apoio é abudante, didático, e o fórum de discussão sempre cheio de debates interessantes.  Além disso, toda semana o professor fazia um hang out com os alunos, respondendo dúvidas e esclarecendo alguns pontos. 

Um ponto de destaque e que a meu ver é algo que falta no Brasil, é o costume de estudar casos concretos. Não só podemos entender melhor, pois vemos o conhecimento teórico sendo aplciado, mas também, passamos a conhecer um pouco mais sobre o mercado em que vivemos.

De maneira geral, achei interessantíssimo! Não apenas pela qualidade do curso que foi oferecido sem custo para os alunos, mas também por de fato conseguir entender um pouco mais sobre o mercado e o papel das empresas. Claro que isto não me transforma em uma analista, nem me capacita para tanto. Todavia, jamais podemos dispensar uma oportunidade de ouro de aprendermos a enxergar o mundo com uma nova visão… ainda que ela seja a de um economista.

O curso encerrou, mas é possível inscrever-se para ser notificado sobre as próximas sessões.

Sobre a importância de bons hábitos

Nosso organismo é formado por trilhões de pequenos organismos vivos liderados por nós. Ou seja, já nascemos CEO de uma grande holding: os nossos corpo e existência.

Pesquisas mostram que nossa atitude em relação aos acontecimentos são decisivas[1] e são determinantes em como nosso organimos reage, podendo até nos levar a cura de uma doença.[2] Por isso, a forma como conduzimos nossa existência é algo que merece nossa atenção constante, principalmente se queremos viver a vida que sempre sonhamos.

Enquanto líderes desta grande corporação, nossa responsabilidade é imensa, de forma que devemos sempre nos manter bem preparados, em nossas melhores condições. E como fazer isso? Através do cultivo de bons hábitos! Aqueles que nos ajudam a estar sempre em paz, saudáveis e seguros de que estamos, a todos os momentos, fazendo as melhores escolhas para nosso bem estar físico, emocional e mental. 

Como disse Aristóteles: “Nós nos tornamos aquilo que praticamos com frequência. A excelência, portanto, não é um ato isolado, mas um hábito”. Logo, o único obstáculo entre nós e os nossos e objetivos somos nós mesmos, pois, ninguém, além do próprio indivíduo é responsável por sua existência. 

E você? Que hábitos você tem cultivado?


[1] Veja o post sobre como transformar o mal em um amigo.

[2] Revista Saúde. Edição nº 371 de Dezembro de 2013.

Mantenha-se produtivo e conectado: Google Calendar

Todo Advogado e Consultor precisa ser rigoroso com o cumprimento de seus prazos e compromissos. O comprometimento, disciplina e organização do profissional é fundamental para que ele seja bem-sucedido nesta carreira.

Por isso, adotei como ferramenta para organização pessoal e profissional o Google Calendar, pois, além de receber notificações pelo e-mail e sms; posso sincronizá-lo no iPad, no BlackBerry e Desktop; bem como compartilhar os compromissos com os colegas do Escritório (fantástico para manter todos conectados e atualizados).

E o melhor é gratuito!

Pra quem usa Chrome, há ainda um add on chamado “Google Calendar Checker“, que fica no canto superior direito, mostra a lista de todos os compromissos e ainda faz contagem regressiva para o próximo compromisso. Sucesso!

NÃO APRISIONE(SE) – Não julgueis!

Na vida, fomos ensinados por aqueles que já percorreram um determinado caminho a fazer aquilo que eles fizeram. Ou aquilo que eles não fizeram. Logo, por ser muito raro alguém sair de si, pondo suas próprias experiências e conceitos de lado para enxergar a realidade do próximo é que se diz: se conselho fosse bom, não se dava: se comprava.

Enquanto a tecnologia dá passos largos, o homem caminha timidamente no tocando a relacionamentos e respeito ao próximo. Há, por isso, uma enorme urgência em aprendermos – de uma vez por todas – que cada individuo é único e que não há duas vidas iguais. Isso se traduz em respeitar a escolha dos outros e, principalmente, não tentar impor aquilo que acreditamos ser certo, apoiados na certeza de que só existe uma maneira de fazer as coisas: a nossa!

Daí decorre a importância de não julgarmos o próximo, pois ao fazer isso, estamos nos impondo. E pior: tentando espremê-lo na nossa caixinha de idéias e noções sobre o mundo e a vida.

Com isso, perdem todos, claro. Mas perde, principalmente, aquele que quer espremer, pois, ao não exercer sua capacidade de enxergar além daquilo que se conhece, a nossa capacidade de compreensão se atrofia, pois como disse Albert Einstien: “A mente que se abre a uma nova idéia jamais retorna ao seu tamanho original”. E aquela que não se arrisca?

Não podemos esquecer, certamente, que o espremido também sofre graves consequências emocionais. Principalmente quando é obrigado a se encaixar nas noções dos pais, dos professores, de alguém que ama. Além das naturais inseguranças, acontece o pior: é um ser que deixa de ter liberdade para se explorar, pois tem negada a oportunidade de se autoconhecer, de exercitar sua vontade, de, enfim… ser livre!

Por isso, esta semana, sugiro que exercitemos a compreensão, o respeito ao próximo e evitemos o julgamento – a não imposição das nossas crenças ao próximo.

Lembrem-se: todos somos livres para fazer nossas próprias escolhasPor isso, quando algo te incomodar, ao invés de criticar e julgar o outro, reflita simplesmente sobre a razão de tal incômodo. Talvez, ao olhar para si, você descubra que não tem nada a ver com o outro e aprenda mais sobre você.

Como disse Carl Jung: “Quem olha pra fora, sonha. Quem olha pra dentro desperta.” E ninguém quer continuar dormindo enquanto a vida passa…